Diego Jussani aprova chegada de Lisca: “É um cara que vai agregar muito”

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Um dos principais líderes do elenco, Diego Jussani concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (10) após o primeiro período de treinamento. O zagueiro, que vem atuando frequentemente como titular, comentou sobre a chegada do novo treinador e aprovou o estilo irreverente do novo comandante. Jussani fez 24 jogos com a camisa do Guarani na Série B e é o zagueiro que mais atuou como titular neste ano com 42 partidas no total.

O zagueiro aprovou a estilo do treinador: “Ontem ele se apresentou ao elenco e eu gostei. Todos falam que ele é doido mas eu entendi como um doido do bem. É um cara que vai agregar muito neste momento. Temos que esquecer tudo que aconteceu e a partir de agora viver uma vida nova. Temos dez finais, dez partidas muito importantes para definir o futuro do Guarani e nosso futuro também”, disse.

“Já se passaram quatro treinadores, os jogadores em sua maioria são os mesmos, então sabemos que a responsabilidade agora é totalmente nossa e somos nós que temos dar a cara a tapa, que ter mais atitude e assumir mais responsabilidades”, afirmou.

Jussani explicou o momento do Guarani na competição: “Nós sabíamos desde o começo do Brasileiro que estávamos lutando pela permanência e lutando para fazer os 45 pontos o mais rápido possível. Porém criamos uma perspectiva de acesso pelo momentos em que vivíamos, pois criamos uma situação de acesso momentânea. Éramos primeiro colocado, jogando bem, ganhando todos os jogos. O Brinco era um lugar respeitado, todo mundo vinha aqui e a gente passava por cima mas isso mudou. Hoje nossa realidade é de quinze rodadas com uma vitória apenas”, enfatizou.

“Eu sou um cara muito correto e muito crítico, e mesmo assim a gente não consegue achar um fator certo do porque está essa decadência mas o momento é propício para que a gente possa voltar para aquele momento bom que vivemos no começo da série B: pensando primeiramente nos 45 pontos, com muito humilde e pés no chão. Fazendo o simples”, analisou.

O bugrino também analisou a saída do ex-treinador: “Me senti muito mal depois que o Cabo saiu, é um cara que veio para ajudar, fez um trabalho espetacular mas o resultado não aconteceu. O presidente tentou segurá-lo porque viu que o trabalho estava sendo feito, acho que isso foi a mesma coisa que aconteceu com o Maurício (Barbieri). Na oportunidade ele também fez um trabalho muito bom, aprendemos muita coisa nova na parte técnica e tática mas o resultado também não aconteceu. Veio o Vadão deixando a confiança fluir, motivando e as coisas aconteceram.  Agora o Cabo saiu e o Lisca entrou para as coisas andarem de novo”, finalizou.

Confira a coletiva aqui

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email