Destaque Outros

70 anos – Título e Acesso Paulista de 1949

O autor do gol do título e acesso, Dorival, comentou a sensação de ainda ser lembrado

Por Guarani Futebol Clube
Publicado em 12/02/2020, às 11:22.

…

Há exatamente 70 anos, o Bugre conquistava o título e acesso da Segunda Divisão do Campeonato Paulista e o acesso para a primeira divisão. O ano? 1950. Guarani e Batatais se enfrentavam na decisão do Campeonato Paulista de 1949. Os dois líderes do Torneio dos Campeões, e que disputavam a única vaga na elite do futebol Paulista. Com uma vitória por 2 a 1, o Bugre conquistou o acesso e o título da competição.

O Campeonato da segunda divisão de Profissionais de 1949, contou com 49 clubes, divididos em quatro grupos na primeira fase. O Guarani estava na “Série Vermelha”ao lado de Paulista, São Caetano, Corinthians F.C. (Santo André), Taubaté, Portofelicense, Piracicabano, Votorantim, Bragantino, Aapp, Mogiana, São João (Jundiaí) e Rio Branco.

A FINAL!

A final foi disputada no dia 12 de fevereiro de 1950, na Rua Javari, em São Paulo. O Bugre venceu por 2 a 1 com gols de Zico e Dorival. Américo Salomão descontou para o Batatais. A partida foi encerrada aos 34 minutos do segundo tempo, quando a equipe do Batatais deixou o gramado alegando toque de mão do jogador do Guarani ao ajeitar a bola no lance do segundo gol. Também questionaram a anulação de um gol e um pênalti não marcado. O árbitro inglês, Godfrey Sunderland, pressionado pelos simpatizantes do Batatais, precisou deixar o campo em viatura policial e o Bugre comemorou o acesso e título.

AUTOR DO GOL DO TÍTULO

Dorival Geraldo dos Santos, ponta-direita do Guarani nos anos 50 e 60, foi o autor do segundo gol da final do campeonato paulista de segunda divisão de 1949. Em contato com o departamento de comunicação do Bugre, Dorival detalhou o lance do gol e a festa do título. 
“O lance começou com Godê, que tocou para Chiquinho, ele bateu de fora da área e ela bateu no travessão, no rebote eu fiz o gol”, disse Dorival sobre o gol marcado.

“Nós saímos de São Paulo e fomos de trem com a torcida para Campinas. Descemos na cultura, onde seguimos até a 13 de maio e glicério, até chegar na fonte São Paulo, onde era a sede do Guarani. Passamos a madrugada toda comemorando”. 

Hoje,  após exatos 70 anos da conquista, Dorival comentou a sensação de ainda ser lembrado depois de tanto tempo.  “Pra mim é bom ser lembrado depois de tanto tempo. Fico muito feliz por ser reconhecido e muito orgulhoso”, finalizou.