Futebol Profissional

Vadão minimiza ausências e projeta o Bugre para enfrentar o Brasil

Evandro e Genilson estão suspensos para a partida de sexta-feira

Por Gabriel Ferrari
Publicado em 07/08/2017, às 15:07.

…

Após a derrota para o Internacional, no último sábado (05), no Brinco de Ouro, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro da Série B, o técnico Vadão concedeu entrevista coletiva e abordou alguns temas importantes. O comandante alviverde minimizou a derrota para o time gaúcho, fez um balanço sobre do primeiro turno, falou sobre as ausências da equipe e projetou o time para a partida contra o Brasil de Pelotas na próxima sexta-feira. Confira!

“Acredito que nós jogamos bem. Fizemos um bom primeiro tempo porém a equipe do Internacional foi mais competente. Eu acho que a chance de vencer é quando se consegue apresentar bem, apesar do resultado conseguimos ao meu ver recuperar aquele futebol que tínhamos perdido nas últimas partidas”, iniciou dizendo.

“É lógico que a saída do Auremir é uma situação que pesa muito, ainda mais pelo que ele vinha apresentando mas, nesse quesito acredito que conseguimos acertar bem. Agora vamos pensar para frente para ver o que nós podemos fazer dentro daquilo do que está a disposição para montarmos uma equipe que a gente consiga obviamente as vitórias novamente”, disse o treinador sobre as ausências na equipe.

“Vai ser guerra o tempo todo. Se você olhar a tabela está tudo embolado. Nós teremos muitos confrontos pela frente e daqui pra frente vamos começar analisar quanto vale cada vitória. E começar bem vai valer muito porque se vencermos essa partida fora e a outra em casa, esses 6 pontos já nos dão outra condição na tabela. É isso que temos que entender porque a partir de agora as vitórias terão maior valor”, explicou.

“A campanha é boa mas poderia ter sido melhor se tivéssemos alcançado os 30 pontos mínimos. Nós tivemos um  momento em que fizemos 12 pontos e agora é a mesma situação, na próxima mini-meta temos que fazer 12 para voltar a média de 10 pontos a cada seis jogos e equilibrar aquilo que tínhamos planejado”, afirmou.

Por fim, o treinador projetou o a equipe para enfrentar o Brasil de Pelotas: “Os dois zagueiros (W. Rocha e E. Páscoa) entraram em fase de transição e vai depender de um acordo com o DM e com a preparação física. Se isso não acontecer temos o Léo Rigo que pode formar dupla com o Jussani. Na cabeça de área com a ausência do Auremir e do Evandro vamos montar com o que temos. O Lenon foi muito bem quando passou a jogar por dentro e a nossa preocupação não era nem essa mas sim a entrada do Kevin na lateral, ele respondeu muito bem e vamos analisar o que levar a campo”, encerrou dizendo.

O Guarani volta aos treinamentos na tarde desta segunda-feira (07), dando início a preparação para a partida contra o Brasil de Pelotas, na sexta-feira (11), às 19h15, no Estádio Bento Freitas.