Futebol Profissional

Fora de casa, Guarani fica no empate com o Figueirense

No Orlando Scarpelli, o Bugre empatou por 0 a 0 com o time catarinense

Por Guarani Futebol Clube
Publicado em 07/11/2018, às 00:21.

…

Apesar das chances criadas, do bom primeiro tempo e do volume de jogo, o Guarani parou no goleiro Vitor Caetano e não conseguiu superar o Figueirense nesta terça-feira, no Orlando Scarpelli, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O empate em 0 a 0, praticamente encerra as chances do time Bugrino brigar por uma vaga na elite do brasileiro de 2019.

Com o resultado, a equipe Bugrina chega aos 50 pontos e, momentaneamente, ocupa a nona colocação. O próximo compromisso é sábado (10), diante do Paysandu, às 21h, no Brinco de Ouro.

O Jogo

Sem Matheus Anjos, lesionado, o técnico Umberto Louzer promoveu apenas uma modificação para enfrentar o Figueirense nesta noite no Orlando Scarpelli. Rafael Longuine entrou na equipe e o Bugre iniciou a partida com: Agenor; Kevin, Philipe Maia, Fabrício e Romário; Ricardinho, Willian Oliveira, Denner e Longuine; Jefferson Nem e Gabriel Poveda.

Primeiro Tempo

O Guarani voltou repetir um bom primeiro tempo. Velocidade, transição e oportunidades. O Bugre apresentou novamente um bom início de primeira etapa e, só não definiu a partida, porque parou no goleiro Vitor Caetano por diversas vezes.

Aos 14′, Jefferson Nem recebeu de Longuine, invadiu a área e chutou cruzado. Vitor apareceu para espalmar e evitar o primeiro gol. O goleiro do time catarinense foi o grande vilão da noite. Mas, antes de começar aparecer, viu Felipe Amorim acertar a trave de Agenor, aos 25′. O único ataque do time da casa na primeira etapa. Aos 27′, o Guarani começou o bombardeio. Denner chutou cruzado, a bola passou por toda extensão da área e saiu em linha de fundo.

Aos 29′, Longuine recebeu bom passe de Kevin, dominou dentro da área, e chutou à queima-roupa. Vitor Caetano, no reflexo, evitou. Aos 38′, foi a vez de Poveda parar no goleiro. Após passe de Jefferson Nem, o atacante ganhou na velocidade da marcação e chutou forte. Vitor defendeu.

Segundo Tempo

Se a primeira etapa foi de muitas chances desperdiçadas, o segundo tempo foi de muito domínio territorial e poucas chances. Com maior dificuldade para infiltrar na defesa do time catarinense, a alternativa Bugrina foi os chutes de média e longa distância. Aos 15′, Ricardinho recebeu de frente para o gol e chutou forte. O goleiro adversário espalmou para fora.

A tentativa do volante foi a única de maior perigo do Bugre na segunda etapa. Apesar da pouca agressividade, o Alviverde também não sofreu e o goleiro Agenor foi pouco acionado. Umberto Louzer até tentou dar gás novo na equipe com as entradas de Matheus Oliveira, Caíque e Rondinelly nos lugares de Jefferson Nem, Longuine e Denner.

Mas a forte marcação do adversário dificultou o jogo Bugrino que, mesmo com bolas alçadas na área, não conseguiu levar mais perigo ao gol defendido por Vitor.

50 Jogos

Assim como o atacante Caíque, que havia completado a marca de 50 jogos na partida diante do Coritiba, o volante Ricardinho também chegou a casa das 50 partidas nesta noite diante do Figueirense. A diretoria do Bugre parabeniza e agradece os dois atletas pelo empenho e dedicação com a camisa Bugrina.

Ficha Técnica

Figueirense Futebol Clube x Guarani Futebol Clube
Estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina
Arbitragem: João Batista (RJ).
Gols: –
Cartão Amarelo: Pereira, Betinho e Daniel Costa (Figueirense); Fabrício, Caíque, Maia e Kevin (Guarani)
Cartão Vermelho:
Público e renda: 1.327 – R$ 26.570,00

Figueirense Futebol Clube

Vitor Caetano; Matheus Sales, Nogueira, Henrique Trevisan e João Paulo; Pereira (Marco Antônio), Betinho, Renan Mota, Ferrareis (Romarinho) e Felipe Amorim (Daniel Costa); Elton – Técnico: Rogério Micale

Guarani Futebol Clube

Agenor; Kevin, Philipe Maia, Fabrício e Romário; Ricardinho, Willian Oliveira, Denner (Matheus Oliveira) e Longuine (Rondinelly); Jefferson Nem (Caíque) e Gabriel Poveda. – Técnico: Umberto Louzer